sábado, janeiro 09, 2010

Medir os agregados


Malditos dados do desemprego, que insistem em desmentir os modelos e as fantasias dos positivistas. Eles «medem» os «agregados», e a expansão de crédito parece ter um efeito positivo, excepto no desemprego. O fenómeno da estagflação está perto, mas como os modelos provam que é impossível haver inflação massiva dos preços e enorme desemprego ao mesmo tempo, os keynesianos estão calmos. Os mercados financeiros prosperam com a injecção enquanto a produção de riqueza encolhe, e respondem com outra bolha. O investimento que mostra recuperação é o tipo de investimento que uma higiénica deflação faria desaparecer e ruir, não é investimento produtivo que responda à preferência temporal dos consumidores. É um investimento que não adiciona riqueza e que responde apenas à inflação do Banco Central. E que por consequência não «cria» empregos - apenas mantém alguns que não deveriam existir.

Por outras palavras, a economia do Estado está a engolir a economia de mercado.