sexta-feira, janeiro 22, 2010

A frota estatal

O impressionante nesta notícia não é a incompetência/descuido/corrupção. Qualquer pessoa que tenha visitado qualquer dos serviços governamentais pode atestar a mesma coisa. O impressionante é que os automóveis do Estado - ao contrário dos automóveis privados - não são obrigados a ter seguro. E mais impressionante ainda é o número total de viaturas que o Estado possui: nada menos que 28,793. Eu repito: vinte e oito mil setecentos e noventa e três veículos.


Adenda: eis a minha posição, que não ficou clara no post, sobre o assunto dos seguros dos veículos estatais, numa resposta a um email do Miguel: 


«(...) comparado com outras coisas que o Estado faz, a falta de seguros não é um escândalo. De um ponto de vista utilitário é certamente melhor, porque põe menos despesa na conta dos contribuintes. Por outro lado, a minha intenção não é obrigar o Estado a ter seguro nos seus automóveis (eu nem queria que o Estado tivesse automóveis ou outra coisa qualquer), mas sim retirar a obrigação para cidadãos particulares. Eu quero que a responsabilidade recaia sobre o indivíduo, e para isso é preciso que o indivíduo tenha liberdade para escolher ter ou não ter seguro (tal como para a velhice, ou para a saúde, ou para a educação dos filhos). Além de que a obrigação é apenas mais uma manobra corporativista para garantir lucros às seguradoras, não é certamente para proteger os cidadãos.»