segunda-feira, outubro 31, 2011

O "último cavaleiro do liberalismo" strikes again... kind of.

À partida, este texto do Rui Albuquerque (a última das suas cruzadas contra o anarco-capitalismo) parece-me perfeitamente sensato. Simplesmente, ao mesmo tempo que procura exigir que os ancaps ofereçam uma defesa positiva da sua posição (em vez de apontarem as deficiências dos outros sistemas, sobretudo do liberalismo constitucional), limita-se a defender o seu sistema (liberalismo constitucionalista) apontando as deficiências dos sistemas anteriores (nomeadamente, a monarquia absoluta e o sistema feudal). Rothbard, por exemplo, concordaria com ele que o liberalismo constitucional constituiu um passo em frente no caminho para uma sociedade objectivamente mais livre; Hoppe, pelo contrário, discorda. 

Mas quer concordemos ou não (e o presente escriba, sendo um hoppeano, discorda), essa é uma discussão totalmente distinta da praticabilidade e desejabilidade de uma ordem de pura propriedade privada (como Hoppe lhe chama). E muito embora seja uma discussão interessante, a de saber se estamos politicamente mais ou menos livres hoje que, digamos, há trezentos anos atrás, ela não serve para aquilo que o Rui se decidiu a fazer, nem para provar que os ancaps não fazem aquilo que o Rui considera necessário fazer, e com razão. O que podemos retirar do texto do Rui não é uma crítica ao anarco-capitalismo, nem uma defesa positiva do liberalismo clássico, mas uma simples crítica aos sistemas pré-liberais. 

O Rui não provou, portanto, as três coisas que queria provar: que o anarco-capitalismo não é praticável, que o anarco-capitalismo não é desejável e que a ética e moral subjacentes ao liberalismo clássico, se levadas à sua consequência lógica, não podem justificar um monopolista jurídico com o direito de cobrar impostos.

Resta dizer que se o Rui quiser uma exposição positiva das virtudes do anarco-capitalismo, basta ler os trabalhos seminais de Rothbard e Hoppe, em especial e respectivamente, The Ethics of Liberty e The Economics and Ethics of Private Property.

Fico portanto à espero do texto de quarta-feira para o definitivo knock-out.

Sem comentários: