segunda-feira, julho 22, 2013

Acreditar no Pai Natal (II)

(No seguimento deste post, como está bom de imaginar pelo título)

Não deixa de ser engraçado que o liberalismo (ou este liberalismo) seja caracterizado pela iniciativa privada, coordenação e cooperação pacífica entre indivíduos, empreendedores no centro da actividade económica, menos Estado e mais privado, etc etc etc; e, no entanto, o que é que parece que é preciso para demonstrar na prática a alternativa liberal? Um governo liberal.

Não admira que o liberalismo não triunfe em Portugal: parece que as pessoas que estão na frente de luta por esta ideologia não passem de «a bunch of socialists» (não é por acaso que esta expressão surge da boca de Mises naquele contexto).


Sem comentários: